Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

ode à rotina

sobre o feio e o bonito. a minha rotina é ler.

 

Sinopse: 

Rose loves Dimitri, Dimitri might love Tasha, and Mason would die to be with Rose... 

It’s winter break at St. Vladimir’s, but Rose is feeling anything but festive. A massive Strigoi attack has put the school on high alert, and now the Academy’s crawling with Guardians—including Rose’s hard-hitting mother, Janine Hathaway. And if hand-to-hand combat with her mom wasn’t bad enough, Rose’s tutor Dimitri has his eye on someone else, her friend Mason’s got a huge crush on her, and Rose keeps getting stuck in Lissa’s head while she’s making out with her boyfriend, Christian! The Strigoi are closing in, and the Academy’s not taking any risks... This year, St. Vlad’s annual holiday ski trip is mandatory. 

But the glittering winter landscape and the posh Idaho resort only create the illusion of safety. When three friends run away in an offensive move against the deadly Strigoi, Rose must join forces with Christian to rescue them. But heroism rarely comes without a price...

 

Review:

Provavelmente, não devia começar uma review no exacto momento em que termino o livro. Devia dar-me tempo para pensar, ganhar perspectiva. Mas eu sou uma wild child como a Rose, peço desculpa.

Três estrelas e uma menção à protagonista, logo no início da review. Pode perceber-se que gostei mais deste, não pode? Na verdade, a minha intenção era não tornar a olhar para a série depois do primeiro livro, no entanto, com o alarido em torno do filme eu resolvi dar-lhe uma hipótese. As classificações não eram más e, como referi na review de Vampire Academy, podia dar-se o caso da autora ter feito melhorias na obra. Ela fez.

Aprendi a gostar da Rose. Consegui perceber um certo crescimento, contrariando o meu medo de que não houvesse qualquer desenvolvimento de personagens. Quanto à Lissa, gostaria de ter visto mais dela e gostaria também que ela estivesse mais presente para a Rose.

Vejamos, YA sobre amizades entre pessoas do mesmo sexo não acontece com frequência e é uma pena. Os autores tendem a criar triângulos amorosos (também os houve, mas já falo nisso) e a esquecer que há mais do que amor romântico na vida. Neste caso, o aspecto maravilhoso é que a relação central não é Rose/Dimitri, nem sequer Lissa/Christian, mas sim Rose/Lissa. O nível da Rose em relação à melhor amiga é incrível e admirável. A maneira como os guardiões colocam a própria segurança em segundo lugar é assombrosa, especialmente no caso da protagonista que tem apenas dezassete e, embora não se afaste demasiado da imagem de adolescente, consegue apresentar uma maturidade acima do comum, no que toca aos seus deveres. O que desiludiu foi a falta de comunicação entre as duas raparigas que eu já tinha notado no livro anterior, mas que se intensificou neste - quero ver a Lissa a ter uma participação mais activa na vida da Rose.

Em termos da relação principal foi esse o problema que encontrei: a falta de comunicação entre as duas. Uma amizade funciona dos dois lados e gostaria de ter visto a Rose confiar os seus pensamentos à Lissa. 

Continuando com a Lissa, quero um papel mais movimentado nos próximos livros. Quero vê-la lutar, defender-se e quero realmente conhecê-la melhor. Ainda assim, há que salientar o quão diferente as duas parecem e agem; a Rose defende a Lissa como pode, através da força física, e a Lissa defende-la através da diplomacia, a força das palavras (e compulsão, sim, mas não deixa de opor a defesa mental à física).

Quero saber mais sobre todas as personagens. Quero saber especialmente sobre a Mia, se ela vai corresponder àquilo que eu desejo para ela. Fiquei positivamente surpreendida por vê-la ganhar controlo sobre a situação e acho óptimo que a autora a afaste da ideia de menina supérflua e bully que já está tão batida. As pessoas nunca são uma só coisa e para a Mia eu espero um monte de character development para ficar satisfeita.

A estrutura da comunidade vampírica é interessante e original. A luta final deixou-me num estado de extremo entusiasmo e dei por mim a torcer fervorosamente pelas personagens, a sofrer os choques ao mesmo tempo que elas. Este livro teve mais acção e esse é um ponto a favor.

Ainda não merece as quatro estrelas, mas o ritmo foi mais acelerado e sinto que houve mais coisas a acontecerem. Cativou-me de uma maneira que o primeiro não conseguiu. Afastou-se, em certa parte, do estereótipo associado a este tipo de livros e isso é estupendo.

 

Classificação:

3 out of 5 stars

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.