Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ode à rotina

sobre o feio e o bonito. a minha rotina é ler.

 

Sinopse:

Callie Morgan has long lived choked by the failure of her own lungs, the result of an elusive pulmonary illness that has plagued her since childhood. A childhood marked early by the drowning death of her mother—a death to which Callie was the sole witness. Her father has moved them inland, away from the memories of the California coast her mother loved so much and toward promises of recovery—and the escape of denial—in arid, landlocked air.
 
But after years of running away, the promise of a life-changing job for her father brings Callie and him back to the coast, to Florida, where Callie’s symptoms miraculously disappear. For once, life seems delightfully normal. But the ocean’s edge offers more than healing air … it holds a magnetic pull, drawing Callie closer and closer to the chilly, watery embrace that claimed her mother. Returned to the ocean, Callie comes of age and comes into a family destiny that holds generations of secrets and very few happy endings.

 

Review:

Estou um bocado desiludida, para ser sincera.
Por um lado, penso que é fácil compreender a Callie porque toda a gente conhece a sensação de querer algo quase a ponto irracional. No entanto, estive a maioria do tempo condicionada a ela e aos seus monólogos interiores, o que tornou as coisas um pouco aborrecidas.
A quantidade de narração é exagerada, as repetições são desnecessárias e, no geral, sinto que a autora complicou o que podia ter dito em menos palavras.
Podia ter cortado em páginas, sinceramente. Não houve assim tanta história e eu percebo que seja um livro sobre auto-descoberta, mas o problema é que não foi nada grande. Podia ter sido algo grande se a autora começasse o livro nos últimos capítulos e encaixasse a obra noutro género literário.
Inland ia ser muito interessante se o mito fosse mais explorado, se houvesse worldbuilding do mundo subaquático e se a história tomasse um rumo mais creepy. Vi potencial desperdiçado.
Já agora, dispensava a parte do "vou-vos contar uma história" e o final foi bastante pouco interessante. Ou então sou eu que não gosto de finais infelizes. Só sei que convivi com a mesma personagem por quase quatrocentas páginas a desejar que ela chegasse ao mar - não sei por gostar ou estar farta dela - e depois...é.

 

Classificação:

3 out of 5 stars